Teletrabalho em tempos de Coronavírus

artigo

Os artigos aqui publicados são de inteira responsabilidade do autor, não sendo esta  necessariamente a opinião da diretoria do SITRAEMG.

Há alguns anos o SITRAEMG tem feito a discussão sobre o teletrabalho/Home Office, defendendo os direitos de quem está ou quer ir para o teletrabalho. Uma tese apresentada no  XI Congresso Ordinário do SITRAEMG, em Uberlândia, em maio de 2018, foi aprovada por unanimidade pelos participantes. Os principais fatores criticados foram objeto de estudos, análises, rodas de conversa, palestras e artigos produzidos para o SITRAEMG pelo Departamento de Saúde do Trabalhador e Combate ao Assédio Moral (DSTCAM). Neles existem dicas importantes sobre os direitos do teletrabalhador.

Alguns artigos:

Frente à epidemia de coronavírus que estamos vivendo, com um aumento de casos do COVID-19, a subida da curva dos contaminados está deixando de ser aritmética para virar geométrica, ou seja, em vez de somar, os casos vão se multiplicar, daí a necessidade de isolamento social, para diminuir o contágio, fato inédito no Brasil e que teremos de nos adaptar nos próximos meses.

O SITRAEMG, desde o início da pandemia, mesmo com poucos casos no Brasil,  já alertava à direção dos Tribunais sobre o perigo de manter as atividades, pois o contato com o público poderia aumentar o número de vítimas.

Servidores não devem ser obrigados a trabalhar em razão do Coronavírus

Dicas para os novatos em teletrabalho

Felizmente, a evolução da internet permitiu que a maioria dos trabalhadores tenham seu computador, celular, internet e domínio das redes sociais.

Algumas dicas para os trabalhadores e trabalhadoras, para dirimir conflitos familiares, já  que foram para o teletrabalho não por vontade própria, mas por necessidade.

Invasão do trabalho pelos conflitos familiares

Todos que temos família sabemos que as relações familiares são como o mar, calmo ou revolto, turbulento e belo. São como as fases da lua: os afetos podem estar em crescente, plenos (lua cheia), decrescente (crise), e sem luz (lua nova), ou seja, fim do relacionamento.

A família deve entender que a pessoa está em casa a trabalho, não deve ser interrompida para conversas ou pedir atividades enquanto ela está em casa, pois durante sua jornada ela está trabalhando em casa e não descansando em casa.

Que seja respeitada sua privacidade e concentração no trabalho. Como se diz na brincadeira, não pedir coisas sem necessidade. Que tal o FAÇA VOCÊ MESMO! As constantes interrupções atrapalham o fluxo de raciocínio do funcionário em teletrabalho, prejudicam a  ele, à empresa ou Sindicato e toda a família e pode alterar os afetos nas relações intrafamiliares.

Para quem está no teletrabalho, fica a dica: reserve um lugar para colocar seu computador e poder fechar a porta para não ser interrompido em sua atividade laboral. Converse com a  família, principalmente, com os filhos pequenos e adolescentes, sobre este tipo de modalidade e do apoio que necessita para poder trabalhar. Organize sua agenda, mantenha sua jornada ou execute as tarefas dentro de um horário de acordo com sua jornada e contrato, que seja flexível e também produtivo.

Em casa é mais fácil dormir mais um pouquinho, esperar para depois para fazer o trabalho, que é obrigatório, protelando a tarefa a ser realizada, mas, o mais IMPORTANTE É TER DISCIPLINA. Implantar não só uma agenda de trabalho, mas uma agenda mental – ESTOU NO HORÁRIO DE TRABALHO, SÓ QUE EM CASA. Aproveite o tempo que você terá, não se deslocando para o trabalho, para organizar as tarefas caseiras, e com os filhos em casa, sem aulas, eles vão ter que ser parceiros do teletrabalhador, senão o trabalho e a vida pessoal vão se misturar e virar um caos afetivo.

Trabalhe, mas curta a vida. Esta oportunidade é única de a família estar se reunindo. Ponha a conversa em dia, dialogue mais, fique atento às informações sem cair em paranoia ou histerismo – a ciência tem um saber, e este saber coletivo é que preservou a humanidade.

Acredite: é questão de tempo ser descoberta uma vacina contra o COVID-19.

Siga as dicas, regras e normas de saúde. O SITRAEMG disponibilizou em seu site  dicas: Como prevenir o contágio do coronavírus?

Sobre os direitos de quem está em teletrabalho

É importante a negociação de empresas com os sindicatos e, no caso do Judiciário Federal, o SITRAEMG assume o compromisso da total defesa dos direitos dos trabalhadores.

Ficam aqui algumas orientações do MPT

No entanto, o combate à pandemia do coronavirus envolve políticas públicas de saúde, a necessidade de verbas para o SUS, que está sendo destruído pelo projeto neoliberal do governo brasileiro, conforme parágrafo de texto publicado pelo SITRAEMG:

“Urge salientarmos que o Brasil não suporta mais viver sem o devido acesso à saúde, educação, segurança, transporte digno e outros tantos serviços públicos que podem salvar vidas e proporcionar a cidadania, a solidariedade e a paz social.”

Esta deve ser a luta social encampada por toda a população. Está na hora de unirmos forças, pois é nossa vida que está em jogo. Temos de ser mais solidários e ampliar o humanismo contra o neoliberalismo.

Servidores e trabalhadores: estamos ao seu lado neste momento. A questão do coronavírus pode aumentar a ansiedade ou a depressão, pois o futuro é incerto e o medo da morte agora é mais real. Sobre este tema, já escrevi um  artigo publicado ano passado no site do SITRAEMG. 28/05/2019 – ARTIGO – Sobre o medo da morte

Continuaremos também a combater de forma radical o assédio moral no trabalho, em sua modalidade virtual. Denuncie pelo e-mail: lobato@sitraemg.org.br

IMPORTANTE

O DSTCAM, através do psicólogo Arthur Lobato, credenciado pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento online, trabalhará  através de atendimento online,  via skype e, para sugestões, dicas e críticas, pelo e-mail: lobato@sitraemg.org.br

Contatos com Danúbia para agendar o atendimento online: (31)98959-1320

O SITRAEMG ESTÁ DO LADO DO SERVIDOR NESTE MOMENTO DIFÍCIL; MAS, JUNTOS, ENFRENTAREMOS COM ÉTICA E RESPONSABILIDADE AS ADVERSIDADES IMPOSTAS PELA PANDEMIA. CONTE CONOSCO.