Envie mensagens ao Congresso contra a proposta de desmonte dos serviços públicos

melhor-horario-enviar-email-marketing-792x446-1

Conforme já amplamente divulgado pelo SITRAEMG, já começou a tramitar no Congresso Nacional um conjunto de medidas propostas pelo governo que visam reduzir os investimentos e promover uma série de mudanças no setor público com o objetivo final de acabar de vez com os serviços historicamente prestados pelo Estado brasileiro à população.

O jogo contra os servidores públicos e a população é pesado. E, como disse o servidor aposentado e assessor parlamentar Vladimir Nepomuceno, na AGE do SITRAEMG realizada no último sábado (19), nessa empreitada o Executivo conta com o apoio incondicional da maioria dos parlamentares (federais, estaduais e municipais), governadores, prefeitos e partidos políticos, além de todos os grandes grupos de mídia do País: Globo, Estadão, Folha de São Paulo, Record, SBT, Bandeirantes, RedeTV, Diários Associados (Estado de Minas e Correio Braziliense), O Tempo, Itatiaia etc.

Por trás desse plano nefasto de abandonar a população à própria sorte, encontram-se o Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional (FMI), Instituto Mellenium, Oliver Wyman e outras instituições internacionais que atuam nos países subdesenvolvidos pressionando o poder público para que reduza a atuação do Estado e, assim, abra o caminho para que as grandes empresas e os bancos passem a explorar os serviços hoje prestados gratuitamente, mas cobrando altos preços e, é claro, apenas para quem possa pagar. Para enfiar goela abaixo da população esse plano nefasto, utilizam o falso discurso de que o propósito das medidas é acabar com os privilégios no funcionalismo para, com os recursos economizados, dar mais qualidade e eficiência aos serviços públicos. Mentira!

Para desconstruir esse discurso sujo contra a população, o SITRAEMG pede aos servidores que se engajem fortemente na luta contra a Reforma Administrativa. Uma das formas de mostrar essa indignação é enviando a mensagem abaixo, a todos os deputados e senadores mineiros, contra o conjunto de propostas do governo de desmonte dos serviços públicos. Depois de ler a mensagem, clique ENVIAR:

Senhor(a) parlamentar mineiro(a),

Reforma Administrativa, NÃO!

Temos a convicção de que a Reforma Administrativa começou a ser feita com a Emenda Constitucional nº 95, teve prosseguimento com as PECs 186, 187 e 188, de 2019, do chamado Plano Mais Brasil, já em tramitação no Senado, e agora vem enterrar de vez os serviços públicos com a PEC 32/2020 e os projetos de leis ordinárias e complementares que o governo anuncia para a segunda e terceira fases da RA.

Igualmente, temos certeza de que a RA integra um conjunto de reformas que incluem a da Previdência, Trabalhista e da liberação das terceirizações sem limites, cujo único objetivo é abrir o caminho para que as grandes empresas - sobretudo as estrangeiras - e os bancos possam explorar livremente os serviços hoje prestados gratuitamente à população e a classe trabalhadora do País, com o mínimo de empecilhos legais, para se fartarem dos altos lucros.

Mas, preste bastante atenção! Vamos mostrar para a população que o governo quer mudar a legislação para acabar com os serviços públicos. V. Exa. está de acordo com essa sujeira? Sim ou não, fique atento(a), pois estamos bem de olho no seu voto.

Seu futuro político está em jogo. E sua reputação ética está sob o jugo da população.

Muito obrigado(a).

Servidor(a) do Judiciário Federal.